Sexta, 12 de Julho de 2024
75 98251-4963
Geral Bahia

Ponte Salvador-Itaparica: começa sondagem em águas profundas com uso de balsa e equipamentos de alta tecnologia

Além da ponte com 12.4 km sobre o mar, a maior da América Latina, serão construídos novos acessos viários em Salvador e Vera Cruz

03/07/2024 20h38
Por: Carlos Valadares Fonte: Página de Notícias

Foto Kiko Silva

Página de Notícias

A sondagem do Sistema Rodoviário Ponte Salvador-Itaparica entrou na etapa de águas profundas nesta quarta-feira (3), quando foram iniciadas as perfurações nos trechos que possuem de 10 a 60 metros de profundidade da Baía de Todos-os-Santos. O serviço começou do lado de Salvador, na região da Praia da Boa Viagem, na Cidade Baixa.

Nesta fase, está sendo utilizada uma balsa de grande porte com 75 metros de comprimento e área de convés de, aproximadamente, dois mil metros quadrados. Montado sobre a balsa está um equipamento de perfuração que veio da China exclusivamente para execução da sondagem da ponte e que marca o início do intercâmbio tecnológico Brasil-China proporcionado através desse projeto.

Este tipo de perfuratriz é uma novidade que possui a tecnologia chamada de “Sistema de Compensação de Ondas”. Esse sistema é fundamental para garantir a excelência dos resultados durante a coleta do material. Assim, mesmo com os balanços em função das ondulações e tempo chuvoso, que podem causar oscilações na balsa, a perfuratriz extratora das amostras do solo fica sempre estabilizada. O sistema de compensação usa sensores e mecanismos hidráulicos para ajustar ativamente a posição da perfuratriz em resposta aos fatores externos. Isso é fundamental já que os movimentos da balsa não podem interferir na coleta do solo marinho.

Em cima da balsa que atua em águas profundas foram instalados também 15 contêineres. Eles passam a funcionar como uma espécie de canteiro de obras avançado ao mar, com equipes de operação, suporte técnico, administrativo e almoxarifado. 

O CEO da Concessionária Ponte Salvador-Itaparica, Claudio Villas Boas, comenta que todo o diferencial tecnológico utilizado visa garantir a segurança e a excelência dos trabalhos. “Um dos grandes legados desse investimento que estamos fazendo é o intercâmbio tecnológico gerado a partir das inovações chinesas que estamos trazendo para o Brasil. Haverá uma troca de conhecimentos importante entre os profissionais brasileiros e chineses que estão atuando em nosso projeto. Portanto, é nosso compromisso incorporar tecnologias de ponta ao trabalho desenvolvido pela Concessionária de modo a obter sempre os melhores resultados”.

Villas Boas também enfatiza que a contratação de trabalhadores brasileiros e de empresas baianas é um dos focos do qual o projeto não abre mão. Até o momento, 17 empresas baianas foram contratadas e 300 empregos diretos e indiretos já foram gerados somente em função da sondagem, que representa um investimento de R$ 160 milhões.

NAVEGAÇÃO SEGURA

Na etapa de sondagem em águas profundas, outra tecnologia garante a segurança e a comunicação entre embarcações e balsas: o Sistema de Identificação Automática. Utilizado no tráfego marítimo, ele identifica e localiza embarcações por meio da troca eletrônica de dados com outras embarcações próximas e estações-base. Ele é capaz de fornecer informações como posição, velocidade, direção e outros detalhes de navegação, atualizados constantemente. Ainda em atendimento aos requisitos da Marinha do Brasil, as embarcações utilizadas na sondagem também estão devidamente sinalizadas com luzes para indicar a sua área de atuação. Com o objetivo de orientar a comunidade marítima local, a Marinha emite avisos aos navegantes antes da movimentação das embarcações e dos equipamentos envolvidos na sondagem.

SONDAGEM

A etapa de sondagem envolve a obtenção de amostras do fundo do mar em 102 pontos onde serão construídos os pilares da Ponte Salvador-Itaparica. Em seguida, o material coletado passará pela análise de laboratórios especializados para a preparação de relatórios minuciosos com dados sobre as características do solo. Esta fase foi iniciada com as operações terrestres em 31 de janeiro deste ano, em Vera Cruz. Paralelamente aos trabalhos em águas profundas, está em andamento também a sondagem em águas rasas, até 10 metros de profundidade, que começou no dia 11 de junho com uma plataforma estilo Jackup.

MUITO MAIS QUE UMA PONTE

O Sistema Rodoviário Ponte Salvador-Itaparica será um novo vetor de distribuição de renda e vai impulsionar a economia de toda a Bahia, com geração de sete mil empregos. Serão contemplados 10 milhões de baianos em cerca de 250 municípios. Esse grande investimento vai fomentar o desenvolvimento econômico a partir da atração de novos empreendimentos em áreas como logística, indústria, comércio, serviços e mercado imobiliário. O novo sistema irá também impulsionar de maneira sustentável o turismo na Bahia já que a distância entre Salvador e importantes zonas turísticas do estado, como o Sul e Baixo Sul, será reduzida em mais de 100 km.

Além da ponte com 12.4 km sobre o mar, a maior da América Latina, serão construídos novos acessos viários em Salvador e Vera Cruz. Na capital, serão 4 km de uma nova estrutura entre a região da Calçada e Água de Meninos composta por um conjunto de viadutos e dois novos túneis que ficarão paralelos aos da Via Expressa. Já em Vera Cruz, o fluxo de veículos oriundos da ponte será direcionado para uma nova via expressa com 22 km que será construída na região de Mar Grande e segue até as proximidades de Cacha Pregos. Por fim, será duplicado um trecho de 8 km da BA-001 desde Cacha Pregos até o início da Ponte do Funil, onde finaliza a área de atuação da Concessionária.

Esse novo investimento de aproximadamente R$ 9 bilhões é fruto de uma Parceria Público-Privada (PPP) entre o Governo da Bahia e um consórcio chinês formado por dois grandes grupos que estão entre os maiores do mundo no segmento de construção e infraestrutura. São eles: China Railway 20th Bureau Group Corporation (CR20) e China Communications Construction Company (CCCC). O contrato assinado em novembro de 2020 estabelece uma concessão de 35 anos para construção, operação e manutenção do equipamento.

Fonte Assessoria Governo

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.