Domingo, 23 de Junho de 2024
75 98251-4963
Geral Mulher trans

Mulher trans será indenizada em R$ 10 mil por não ter nome social respeitado em Salvador

O caso ocorreu no local de trabalho da vítima; ela era impedida de usar o banheiro feminino

04/06/2024 06h31
Por: Carlos Valadares
Foto: Divulgação/CNJ
Foto: Divulgação/CNJ

Uma operadora de teleatendimento transsexual será indenizada em R$ 10 mil por não ter o nome social respeitado no ambiente de trabalho, em Salvador. Ela também era impedida de utilizar o banheiro feminino da empresa.

A decisão é da 1ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 5ª Região (TRT-5) e, em recurso, está sendo analisada no Tribunal Superior do Trabalho (TST). Segundo o órgão, ao longo do período que trabalhou na companhia, ela também era tratada por pronomes masculinos, chamada por colegas de trabalho pelo "nome antigo" – de registro, anterior à sua transição – e aparecia na escala e nas fichas de trabalho com esse nome.

Na denúncia, a atendente contou que essas situações a deixavam constrangida. Ela então conversou, registrou reclamações por e-mail, aplicativo de mensagens e pela rede social da matriz da empresa, sendo despedida logo depois. Conforme o TRT-5, a empresa disse que nunca chegou ao seu conhecimento reclamações sobre restrição ao uso do banheiro feminino e que a demissão aconteceu por fechamento de postos de trabalho.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.